Como controlar as finanças do cartão de crédito

54

Ter hábitos de consumo conscientes e controlar os gastos com cartão de crédito é fundamental para manter as finanças em ordem e ter saldo positivo na conta no fim do mês. No entanto, atingir esse objetivo geralmente não é uma tarefa simples. É preciso ter um bom planejamento financeiro para chegar ao fim do mês sem problemas com dívidas.

Os principais erros associados ao uso do cartão incluem ter gastos maiores do que a renda, pagar apenas o mínimo da fatura e usar o crédito como complemento de renda. Isso sem falar nos outros problemas que podem causar enormes prejuízos financeiros ao seu bolso no final do mês.

Ao utilizar um cartão de crédito, é preciso ficar muito atento, pois a chance do indivíduo cair numa armadilha financeira é bem grande. Se você pretende usar o seu cartão, mas ainda tem dúvidas sobre isso, leia este texto e saiba como controlar as finanças do cartão de crédito.

Faça um planejamento financeiro

Não é possível falar em utilização do cartão de crédito sem ter um ótimo planejamento financeiro. Ao montar um planejamento, você pode administrar o valor de suas receitas e analisar as suas despesas fixas e variáveis. Dessa forma, será possível saber quanto você precisa economizar para atingir seus objetivos.

Outra coisa que deve ser feita é a listagem das metas financeiras que você pretende cumprir em um determinado período. Isso servirá como motivação para que haja o cumprimento do planejamento financeiro.

Evite ter muitos cartões de crédito

Lidar com vários cartões de crédito ao mesmo tempo pode influenciar uma pessoa a gastar mais do que ganha, isso com certeza vai prejudicar o orçamento. Nesse caso, o ideal é ter apenas um cartão de crédito e utilizá-lo apenas quando for necessário.

Dessa forma, o indivíduo conseguirá economizar com anuidade e outras taxas ligadas ao cartão. Além disso, ficará bem mais simples conferir todas as despesas da fatura.

Não pegue cartões de lojas

Atualmente, é muito comum que as lojas ofereçam cartões de crédito aos seus clientes. Aliás, esse procedimento é simples e muito rápido. O grande problema é que a facilidade das lojas estimula o consumo e, por consequência, o acúmulo das dívidas.

Ademais, algumas lojas exigem que a fatura seja paga apenas dentro de seus estabelecimentos, o que contribui ainda mais para gastos indevidos. Em outras palavras, cartões de lojas são armadilhas para fazerem as pessoas gastarem de forma irresponsável.

Tente pagar o valor total da fatura

É preciso lembrar que o cartão de crédito não é uma renda extra. Ou seja, o custo que ele gera deve ser analisado juntamente com as outras contas, sempre de acordo com os ganhos mensais.

Infelizmente, um hábito corriqueiro é pagar apenas o valor mínimo das faturas. Por conta disso, o resto da dívida acaba sendo renegociado com juros altíssimos. Em outras palavras, pagar o mínimo é prejudicial para o controle financeiro e isso pode causar um endividamento gigantesco.

Obviamente, podem acontecer imprevistos em algum momento da vida e a pessoa pode não ter dinheiro para pagar a fatura completa. Contudo, pagar o valor mínimo não deve se tornar um hábito, pois isso contribui para grandes problemas financeiros já no mês seguinte.

Negocie as taxas e a anuidade

As operadoras de cartão cobram suas taxas de acordo com seus próprios critérios. Por isso, é preciso negociar essas taxas sempre que possível, dessa forma, será possível encontrar valores mais vantajosos.

Muitos cartões possuem vários serviços adicionais que podem aumentar ainda mais os juros e as anuidades cobradas, mesmo que você nem use algum desses serviços. Ao fazer um cartão, analise quais serviços realmente são necessários para você e escolha apenas o que for essencial.

Diminua o limite do cartão

Quando uma pessoa usa o cartão de crédito e não o dinheiro em espécie, ela acaba não percebendo o valor da conta, já que ela gasta num dia e paga, em muitos casos, 45 dias depois.

Nesse caso, quanto mais limite o cartão de crédito tiver, mais dinheiro a pessoa “terá” para uso, contudo, isso pode comprometer muito a renda. Em geral, especialistas em finanças aconselham que o limite do cartão nunca ultrapasse 50% da renda líquida do indivíduo. Assim, a pessoa não terá nenhum tipo de problema na hora de pagar o cartão e as outras contas.

Faça um registro diário das despesas

Para ter um controle mais preciso dos gastos que o cartão trouxe, é preciso fazer anotações diárias sobre todas as despesas. Dessa forma, a pessoa terá total controle sobre o que foi gasto e sobre a quantia que ela pode gastar .

Para tornar o controle mais simples, é interessante apostar em gerenciadores financeiros. Por exemplo, o aplicativo Guiabolso possibilita a sincronização entre o app e os dados de sua conta bancária. Com isso, todos os lançamentos da sua conta corrente e do seu cartão de crédito serão categorizados.